JUNHO/2021 – Odontoma Complexo – LIX

postado em: Editorial | 0

Odontoma Complexo – Relato de Caso.

Pierre Fouchard, médico francês, fez em 1746 a primeira descrição detalhada de um odontoma. Posteriormente em 1869, Paul Broca (outro médico francês) utilizou o termo “odontoma” para descrever de forma generalizada qualquer processo neoplásico de tecidos odontogênicos. No século XX, os odontomas foram considerados como neoplasias verdadeiras, sendo sua incidência maior do que todas as outras neoplasias odontogênicas somadas.

De acordo com a mais recente classificação Organização Mundial da Saúde (2017), os odontomas são descritos como hamartomas de tecidos dentais mistos (de origem epitelial e mesenquimal). Em outras palavras, o odontoma nada mais é do que uma anomalia de desenvolvimento: proliferação anormal e tortuosa de esmalte, dentina, polpa e cemento.

A etiologia dos odontomas ainda é incerta. Presume-se que o hamartoma se desenvolva a partir de uma invaginação anormal do epitélio ectodérmico durante a embriogênese; não apresentam predileção por gênero ou etnia, porém são vistos de forma mais frequente entre a primeira e a segunda décadas de vida. De crescimento lento e indolente, alguns odontomas podem estar associados a elementos não irrompidos, evitando a irrupção destes.      

Radiograficamente, o odontoma possui duas variantes: composto e complexo. O odontoma composto apresenta padrão radiográfico característico, constituído por vários dentículos, e a região anterior da maxila é o local mais frequente desta variante. O odontoma complexo, por outro lado, se mostra como uma massa amorfa e a região posterior a mais acometida(tanto no arco superior quanto no arco inferior).

Histologicamente, o odontoma composto caracteriza-se por matriz de esmalte, dentina e tecido pulpar; o odontoma complexo, nos cortes microscópicos, consistem em grande parte de dentina tubular madura, com uma delgada camada de cemento em sua periferia.

Os odontomas são tratados por excisão local simples e o prognóstico é excelente.

O caso a seguir, gentilmente cedido pelos Drs. Airton Knoll Jr. e Sandra Tomaz, ilustra um odontoma complexo em paciente do gênero feminino, leucoderma, de 16 anos, em região do processo alveolar da maxila, lado direito, impedindo a irrupção do segundo molar.

Vista panorâmica e sequência de cortes transversais em região correspondente ao dente 17 (não irrompido) superiormente posicionado à hiperdensidade disforme e irregular, compatível com odontoma complexo.

Sequência de cortes axial e coronal ilustrando o aspecto do odontoma complexo.

Sequência de cortes sagitais ilustrando o aspecto do odontoma complexo.

Aspecto transoperatório do odontoma complexo.

Odontoma complexo após sua excisão

Exposição da coroa do elemento 17, após a remoção do odontoma.

Aspecto radiográfico pós operatório.

Referências Bibliográficas

-Maltagliati A, Ugolini A, Crippa R, Farronato M, Paglia M, Blasi S, Angiero F. Complex odontoma at the upper right maxila: Surgical management and histomorphological profile. Eur J Paediatr Dent. 2020 Sep;21(3):199-202. doi: 10.23804/ejpd.2020.21.03.08.

-Araujo NS, Junqueira JLC. Doenças Ósseas Maxilofaciais: patologia e imagem. São Paulo: Editora Napoleão, 2019.

-Capella LRC, Simoes AYR, Oliveira RJ in: Cabeça e Pescoço. Rio de Janeiro: Elsevier, 2017. Capítulo 7 (Complexo Maxilomandibular e Lesões Odontogênicas). Pags. 343-382.

-Sun L, Sun Z, Ma X. Multiple complex odontoma of the maxilla and the mandible. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol. 2015 Jul;120(1):e11-6

-Capella LRC, Oliveira, RJ. Atlas de Radiografia Panorâmica para o Cirurgião-Dentista. São Paulo: Editora Santos, 2014.

-Papaiz EG, Capella LRC, Oliveira RJ. Atlas de Tomografia Computadorizada por Feixe Cônico para o Cirurgião dentista. São Paulo: Editora Santos, 2011.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *